terça-feira, 19 de julho de 2011

Participação popular marca VIII Conferência de Assistência Social de Lauro de Freitas

A participação efetiva de usuários do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) fez a diferença na VIII Conferência Municipal de Assistência Social de Lauro de Freitas realizada nos dias 14 e 15. Pela primeira vez, a representação esteve presente na abertura do evento, mesas de discussão e eleição das propostas que serão encaminhadas a Conferência Estadual (23, 24 e 25 de outubro), em seguida a Nacional (07 a 10 de dezembro). Para a secretária de Assistência Social, Lourdes Lobo, o envolvimento ilustra a preocupação da gestão em promover políticas verdadeiramente participativas. Ao final do evento, foram eleitos seis delegados, sendo dois do poder público, dois da sociedade civil, um usuário do SUAS e um representantes dos trabalhadores.

“É a terceira conferência realizada na gestão de Moema Gramacho e fizemos questão que representantes do SUAS estivessem conosco lado a lado em todos os momentos”, frisou a secretária. O presidente do Conselho de Assistência Social de Lauro de Freitas, Antônio Jorge Birne, considera a parceria fundamental para o sucesso na implementação das políticas públicas. “O trabalho social tem sido implementado com muita dedicação do Executivo. Junto com o poder público estamos tentando absorver a maioria das demandas do segmento”, enfatizou.   

Integrante do grupo de discussão que debateu o tema “Estratégias para estruturação da gestão de trabalho no SUAS”, a secretária destacou que trabalhadores do SUAS necessitam de condições de trabalho diferenciadas. Segundo ela, todos deveriam ter carga horária máxima de 30h, conforme o projeto de Lei 2.295/00, que trata da diminuição da jornada de trabalho de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. “Eles são protagonistas das políticas depois que elas estão no papel. São esses profissionais que levam os serviços a sociedade. Precisam ser tratados de forma diferenciada”, reforçou Lobo. Atuam ainda no SUAS assistentes sociais, psicólogos, advogados, sociólogos, antropólogos e economistas.

Além disso, foi discutida a criação de um fundo, semelhante ao FUNDEB, para a Assistência Social. “Assim como o SUS e a educação, também queremos um fundo de reserva para nossas questões”, finalizou a secretária, que também preside o Colegiado de Gestores Municipais de Assistência do Estado da Bahia (Coegemas). Outros três grupos de discussão foram formados e debateram os temas “Reordenamento e qualificação dos serviços assistenciais”, “Fortalecimento da participação e do controle social” e “Os desafios do SUAS na erradicação da extrema pobreza no Brasil”.  

Foto: João Raimundo

0 comentários:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Publicidade

Publicidade